sexta-feira, 9 de agosto de 2013

O Maior Amor do Mundo by Seré Prince Halverson [Opinião]


Edição: 2013

Páginas: 288

Editor: Porto Editora


Ella Beene vive uma vida idílica numa pacata cidade americana, com o marido, Joe, e os dois filhos do primeiro casamento deste. Certo dia, porém, infringindo uma regra de ouro, Joe vira costas ao mar e uma onda arrasta-o para o fundo, levando consigo os seus muitos segredos.


Convencida de que a mãe biológica dos filhos, Paige, os tinha abandonado, é com grande surpresa que Ella a vê aparecer no funeral, decidida a recuperar a custódia.

À medida que os segredos emergem, Ella vê a sua vida perfeita ruir como um castelo de cartas. Mas há duas crianças que precisam de si mais do que nunca e pelas quais está disposta a enfrentar todas as adversidades...




Um livro com o titulo forte e marcante, e sim os filhos são o nosso maior amor do mundo!


Baseado em relações actuais e memórias do passado esta história gira em volta de relações humanas, uma história que podia ser verídica, entre amigas, mães, avós...mulheres!
Todo o livro aborda vários temas: a morte, a depressão pós parto, a violência infantil.



A escrita é de fácil leitura e absorção, fluí naturalmente e lê-se num instante, mas acho que a história poderia estar mais desenvolvida, e ai sim poderia ser um livro para mais estrelinhas.



No passar das páginas conhecemos a vida de Ella e Joe e os dois filhos. O drama acontece quando uma das personagens morre e o mundo desaba para outras. Amei os pequenos: Annie e o Zach e como tiveram a capacidade de amar duas mães, mas as crianças, são assim, têm um coração do tamanho do mundo.
Eu concordo com o ditado que diz: Mãe é quem cria, educa, dá amor, carinho! Durante todo o livro tirei partido por uma das personagens e fiquei do lado dela até ao fim, infelizmente o livro não tem um desfecho bombástico, como eu esperava. Enquanto mãe fiz várias vezes a pergunta: E se fosse eu? E assim fui vivendo as angústias e desespero juntamente com a personagem.



Em relação às personagens secundárias, foram bem encaixadas e retratadas na história, entraram e saíram nos momentos certos, a desempenhar o seu papel.



Resumindo, gostei e recomendo!






Sem comentários:

Enviar um comentário